Redes sociais

segunda-feira, 10 de maio de 2010

A HORA DA POESIA

Pra que serve uma cama pra dormir
Se a saudade não me deixa cochilar.

(Mote de José Hélio)

Não pensei que a alma de poeta
Fosse tão predisposta ao sofrimento
Sua imagem nunca sai do pensamento
Seu carinho o meu peito não deleta
Quem me vê com a cara de pateta
Nem calcula como é grande o meu penar
E ao invés de querer me ajudar
Acha em mim um motivo para rir
Pra que serve uma cama pra dormir
Se a saudade não me deixa cochilar.

No trabalho produzo quase nada
Numa missa esqueço a oração
Nunca mais fui ao jogo do Leão
Desisti de correr na vaquejada
Só você permanece imaculada
Mesmo sendo o motivo pra chorar
O doutor no intuito de curar
Prescreveu seu amor como elixir
Pra que serve uma cama pra dormir
Se a saudade não me deixa cochilar.

Wellington Vicente.
Porto Velho, 02/05/2010.

1 Comentários:

  1. Amigos poetas blogueiros, parabéns por utilizarem a internet como forma de dividir com o mundo o seu pensar, o seu compreender, desempenhando a missão do poeta que é se afirmar como ser humano, sobretudo perante si mesmo, captar os arquétipos coletivos de sua época e princípios universais, permitindo após compreender-se ou não compreender-se, que pela sua obra os da sua época tenham referência alternativa para fazer a leitura do mundo e as gerações posteriores entenderem a própria história da humanidade. Tudo temperado pelo sonho, pela sensibilidade e pela utopia. PASSOU A ÉPOCA DE ESCREVERMOS E GUARDAR NA GAVETA NOSSAS CRIAÇÕES DEPOIS DOS MAIS PRÓXIMOS FINGIREM TER LIDO PARA NOS AGRADAR. Através do meu blog quero aprensentar-lhes a video-poesia, que usa várias linguagens de uma só feita, a serviço do texto. Se gostar divulgue e compartilhe com os seus contatos. Acessar em:

    www.valdecyalves.blogspot.com

    ResponderExcluir

GOSTOU DA POSTAGEM? DEIXE O SEU COMENTÁRIO.