Redes sociais

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

CORDÃO POÉTICO

TÔ BEBENDO POR ALGUÉM
QUE EU NÃO SEI QUEM DIABO É!

Mote de Felipe Júnior


Eu tomando carraspana
Por alguém que não merece
Seu amor não oferece
E me nega essa sacana.
E assim eu tomo cana
Esse caso não dá pé...
Eu perdendo minha fé,
Ela nega o querer bem,
TÔ BEBENDO POR ALGUÉM
QUE EU NÃO SEI QUEM DIABO É!

Allan Sales

Minha vida é uma utopia
De sonhos e emoções,
Paixonites e paixões,
Meu lema do dia a dia.
Não sei o que é alegria,
Já estou perdendo a fé
De encontrar esta muié
Nem que seja no além.
TÔ BEBENDO POR ALGUÉM
QUE EU NÃO SEI QUEM DIABO É!

Josa Rabêlo

Foi numa mesa de bar
Que eu a vi vindo da praça,
Bastou somente um olhar
Pra tornar tudo em desgraça.
Ela vinha, mas voltou
E assim nunca mais passou
Perto do bar de Zezé.
Não sou de beber, porém
TÔ BEBENDO POR ALGUÉM
QUE EU NÃO SEI QUEM DIABO É!

Perguntei pra todo mundo...
Quem soube informar? Ninguém!
Quase como um vagabundo
TÔ BEBENDO POR ALGUÉM.
Por causa dessa menina
Vivo deitado na esquina,
À margem, como ralé.
Quem souber da minha intriga,
Por favor alguém me diga
QUE EU NÃO SEI QUEM DIABO É!

Felipe Júnior

Por esta condenada
Eu só vivo embriagado
Andando de bar em bar
Tentando comprar fiado
Ninguém mais quer me vender
Eu na sargeta jogado
O cachorro a me lamber
Perdido neste cabaré
TÔ BEBENDO POR ALGUÉM
QUE EU NÃO SEI QUEM DIABO É!

Magal Melo

Três dias de carnaval
Nós passamos abraçados
Nos amando, mascarados
Em um amor sem igual
Mas em Cinzas, no final,
Eu procurei a muié
Ela sumiu pela Sé
E nunca mais vi meu bem
E hoje bebo por alguém
Que eu não sei quem diabo é

Evaldo Araújo

Por telefone me disse
Que a gente se encontraria.
Marcou local, hora e dia,
Com vom suave de miss…
Pediu que eu me prevenisse,
Chacoalhou com minha fé…
Desligou e deu no pé,
E eu, sem saber se ela vem,
Tô bebendo por alguém
Que eu não sei quem diabo é.

Dedé Monteiro

Brincadeira de mal gosto
Q’essa dona fez comigo
Hoje vivo no castigo
Sem puder nem ver seu rosto
Minha vida é só desgosto
Danei a cara no mé
Porque diabo essa mulé
Foi me chamar de meu bem
Tô bebendo por alguém
Que eu não sei quem diabo é.

Jânio Leite

Ela pra mim veio em sonho
Quando vejo tá de costa
Do jeito que o diabo gosta
Por mulé me decomponho
E de alegre sou tristonho
Por estar no cabaré
Num penso noutra mulé
Isso é sina de ninguém
Tô bebendo por alguém
Que não sei quem diabo é!

Galdêncio Neto

3 Comentários:

  1. Bom todo o cordão poético.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Grande mestre Felipe tem jeito de amarrar esse pedaço no cordão?


    Ela pra mim só vem em sonho
    Quando vejo ta de costa
    Do jeito que o diabo gosta
    Por mulé me decomponho
    E de alegre sou tristonho
    Por estar no cabaré
    Num penso noutra mulé
    Isso é sina de ninguém
    Tô bebendo por alguém
    Que não sei quem diabo é!

    Galdêncio Neto

    ResponderExcluir
  3. É uma ordem, poeta Galdêncio!

    Felipe Júnior

    ResponderExcluir

GOSTOU DA POSTAGEM? DEIXE O SEU COMENTÁRIO.